Pular para o conteúdo principal

Como conquistar fãs fiéis para sua marca?


Quantos fãs você tem?

Quando eu te faço essa pergunta, pode ser que seu primeiro impulso seja consultar o seu perfil profissional no Instagram para ver quantas pessoas estão lá te seguindo. E esse número até poderia ser a resposta, exceto por um detalhe: seguidores não são necessariamente fãs, muito menos fãs verdadeiros.

Peraí, como assim?


É isso mesmo. A verdade é que ter dezenas ou centenas de milhares de seguidores não é nenhuma garantia de que você está tocando um negócio sustentável. Isso porque ter essas dezenas ou centenas de milhares de pessoas acompanhando seu perfil não significa que elas estejam realmente dispostas a consumir o seu produto ou seu serviço. E se isso não acontece nem ocasionalmente, quem dirá de maneira recorrente – que é o que constitui aquilo que podemos chamar de fãs verdadeiros.

Mas, então, qual seria a solução? Trabalhar para conseguir ainda mais seguidores para, a partir de uma pequena parcela dessas pessoas, começar a vender? Na verdade, é bem o oposto disso. O que você precisa é de fãs verdadeiros que estejam realmente engajados e conectados com o que você tem a oferecer. E eles não precisam ser centenas de milhares de pessoas.

Na verdade, algumas fontes dizem que podem ser simplesmente mil fãs verdadeiros – ou até menos do que isso. O mais importante é que você precisa achar esse nicho que tem o potencial de se apaixonar pela sua solução – e, a partir daí, encontrar a melhor forma de se conectar a essas pessoas e resolver a dor que elas têm e que está relacionada ao seu produto ou serviço.

Lá em 2008 (é, isso já faz mais de 10 anos), o editor da revista Wired, Kevin Kelly, escreveu um artigo chamado 1,000 True Fans (Mil fãs verdadeiros, em português), afirmando que artistas, músicos, fotógrafos, artesãos, performers, designers, videomakers, escritores – em outras palavras, profissionais que trabalham de alguma forma com criatividade – não precisavam de milhões de fãs para conseguirem ter uma renda sustentável.

De acordo com Kelly, existe até um número “cabalístico” de fãs verdadeiros que você precisaria ter para conseguir ter uma receita recorrente estável: seriam os tais mil fãs verdadeiros. 

“Um fã verdadeiro é um fã que comprará qualquer coisa que você crie. Esses fãs obstinados vão dirigir 300 quilômetros para ver você cantar; eles vão comprar a versão de capa dura, de livro de bolso e a versão em áudio do seu livro; eles vão adquirir sua próxima estatueta às cegas; eles vão pagar pela versão de DVD do seu “best-of” do seu canal gratuito no YouTube; eles vão vir à sua sessão gourmet uma vez por mês. Se você tiver cerca de mil fãs verdadeiros como esses (também chamados de super fãs), você pode ganhar sua vida assim – se você estiver feliz em ganhar seu sustento, e não ficar rico”.

Ou seja: para Kelly, se você conseguir mil pessoas que comprem de você recorrentemente, a receita gerada a partir dessas aquisições será o suficiente para você se sustentar.

Mas então, como criar uma comunidade de mil fãs verdadeiros?

Bom, é aqui que vem a parte mais difícil: começar a construir uma base fiel de fãs é um trabalho constante e que precisa de consistência. Mas, não, não é impossível.

Para fins de colocar a ideia em prática, vamos começar com cem fãs, ok?

Então, a primeira coisa que você precisa fazer é começar a ajudar as pessoas que estão dentro do seu círculo de amizade: invente algum serviço que ajude as dez primeiras pessoas a solucionarem o problema que você identificou como importante. Nesta etapa, o seu objetivo será validar se você consegue resolver um problema. Isso pode ser feito por meio de mentoria, grupos de estudo, amostras grátis etc.

Após fazer isso, é hora de expandir sua rede de círculos dos primeiros fãs verdadeiros e chegar aos 50 fãs. Abra para mais pessoas que são do círculo dos seus fãs verdadeiros para fortalecer a sua comunidade e ampliar a sua base. Aqui, o objetivo é validar se as pessoas recomendam você. Você pode oferecer ferramentas, materiais gratuitos, conteúdo gratuito e outros.

Por fim, para chegar aos cem fãs, comece a divulgar abertamente suas soluções para novas pessoas. Comece a usar as redes sociais, grupos online, blogs e sites para oferecer sua solução de forma paga e uma versão mais simplificada gratuitamente. Esse é o momento de validar se as pessoas pagam pela sua solução. O que oferecer: produto viável, serviços pagos, conteúdo gratuito, entre outros.

Se você cumprir essas etapas e conseguir validar todos os estágios de maneira sustentável, as chances de você chegar aos mil fãs verdadeiros serão muito maiores. 😉


Fonte: https://www.botanarua.com.br/1000-fas-verdadeiros/

Postagens mais visitadas deste blog

Como criar a sua própria rede social do zero?

Não é segredo que as mídias digitais atraem a maior parcela do público e, como resultado, criar a sua própria rede social do zero pode ser muito interessante para os negócios. Pensando nisso, separamos aqui um passo a passo de como fazer isso e competir com grandes nomes que já estão no mercado. Inclusive, é válido destacar aqui que, mesmo com um bom volume de redes sociais, o mercado não está saturado e existem diversas oportunidades a sua espera. Boa leitura! 1# Aprenda mais sobre o mercado Ao contrário do que muitos dizem por aí, é essencial conhecer o mercado e como tudo começou para saber como você pode alcançar o sucesso. O Instagram, por exemplo, começou como um aplicativo muito reduzido e diferente do que é hoje. E o mesmo vale para outros gigantes, como o Twitter, Facebook e Pinterest. Usando como exemplo o próprio  Mark Zuckerberg , caso você não saiba, o Facebook foi criado para um campus universitário, Harvard. Ainda que o objetivo fosse ter uma rede exclusiva para os aluno

Como usar banners para publicidade

Todo mundo quer saber como ganhar mais dinheiro com o seu negócio. Com redes sociais não é diferente. Uma das principais ferramentas de monetização é a publicidade que, quanto mais segmentada, normalmente é mais valiosa. Você tem uma rede social de nicho que, por natureza, já é bem segmentada por um interesse comum e isso faz com que sua audiência atraia o interesse de anunciantes. Como encontrar os melhores anunciantes? Cada mercado tem sua dinâmica própria, mas recomendamos que o primeiro passo seja mapear quem são as maiores empresas do mercado que se interessariam pela sua audiência. Se sua rede for sobre maternidade, você poderá buscar varejistas de roupas infantis que já tenham anúncios digitais e negociar diretamente com a empresa ou com a sua agência contratada. Independente do meio de contato, as principais dúvidas de todo anunciante serão qual é o tamanho e qualidade da sua audiência. Você tem ao seu favor a natureza segmentada do seu negócio e isso costuma atrair a atenção e

Os 03 pilares do marketing de comunidade

  Conhecer os três pilares do marketing de comunidade é a melhor saída para colocar essa estratégia em prática no seu negócio. Entretanto, se você ainda conhecesse ou não entende exatamente o que é essa estratégia, vale a pena conhecer um pouco mais. Para isso, separamos um post explicando exatamente tudo o que você precisa saber para dar os primeiros passos.  É só clicar aqui! Mas, se você já conhece, vamos começar a apresentar esses pilares, que serão a sua base de conhecimento, criação e resultados. Boa leitura! 1# Alinhamento dos membros da comunidade O alinhamento dos membros da comunidade se refere a uma junção de ideias. Primeiro, você precisa saber o que pode oferecer para esse grupo de interesse. Segundo, você precisa ter uma ideia, ao menos, do que essa comunidade busca ou espera de você. Para isso, você precisa conhecer essas pessoas, saber quem elas são. O ideal é que você seja capaz de responder as seguintes questões: • O que essa comunidade procura dentro do espaço que vo