Pular para o conteúdo principal

Como criar a sua própria rede social do zero?

Não é segredo que as mídias digitais atraem a maior parcela do público e, como resultado, criar a sua própria rede social do zero pode ser muito interessante para os negócios.

Pensando nisso, separamos aqui um passo a passo de como fazer isso e competir com grandes nomes que já estão no mercado.

Inclusive, é válido destacar aqui que, mesmo com um bom volume de redes sociais, o mercado não está saturado e existem diversas oportunidades a sua espera.

Boa leitura!

1# Aprenda mais sobre o mercado



Ao contrário do que muitos dizem por aí, é essencial conhecer o mercado e como tudo começou para saber como você pode alcançar o sucesso. O Instagram, por exemplo, começou como um aplicativo muito reduzido e diferente do que é hoje. E o mesmo vale para outros gigantes, como o Twitter, Facebook e Pinterest.

Usando como exemplo o próprio Mark Zuckerberg, caso você não saiba, o Facebook foi criado para um campus universitário, Harvard. Ainda que o objetivo fosse ter uma rede exclusiva para os alunos, a história mudou um ano depois, chegando ao que conhecemos hoje. Portanto, não espere que tudo aconteça rapidamente e tenha paciência. Até as maiores redes precisaram de algum tempo.

2# Avalie quem é a sua comunidade para criar sua própria rede social do zero

Hoje em dia, não dá para dizer que os gigantes possuem exatamente um público-alvo, mas é preciso definir uma comunidade para começar. Isso porque, ao criar uma rede, você vai definir como ela vai funcionar e o que ela fará. Para isso, precisa conhecer as necessidades de um grupo de pessoas interessadas.

Podemos usar o exemplo acima, do Facebook. Inicialmente, os recursos eram voltados para o público do campus interagirem e se encontrarem. Dessa forma, você precisa conhecer mais sobre as pessoas que podem ter interesse naquela rede social.

Pensemos em um exemplo prático. Suponha que você queira montar uma rede voltada para aqueles que fazem ou querem fazer intercâmbio. Afinal, você cria conteúdos relacionados ao tema, vende pacotes de viagem, etc.

Enfim, esse público é bastante específico e possui algumas características, como:

  • • Abrange ambos os gêneros;
  • • É mais comum entre o público jovem, de 16 a 25 anos;
  • • Querem aprender ou já sabem alguma língua;
  • • Querem saber mais sobre hospedagem, lugares, câmbio, etc.


3# Funções e recursos



Depois de conhecer melhor o seu público ou a comunidade para a qual vai criar a sua própria rede social do zero, é hora de definir os recursos e funções. Em outras palavras, será necessário escolher quais são as coisas que essa rede vai fazer. É importante destacar aqui que muitas redes começam com funções básicas e vão se desenvolvendo ao longo do tempo. Já que novas tecnologias e tendências vão surgindo.

Para ficar mais simples de entender, vamos continuar com o exemplo apresentado acima.

Então, a sua comunidade tem interesse ou faz intercâmbio. Logo, é interessante que esses usuários consigam compartilhar experiências através de textos, fotos e vídeos. Mas não é só isso, os recursos também envolvem a necessidade de se cadastrar ou não, criação de perfis, regras e políticas básicas, etc. Tudo isso precisa ser pensado com cuidado, para garantir a experiência da comunidade.

O Instagram, por exemplo, deu seus primeiros passos apenas com o compartilhamento de fotos. Aos poucos, adicionou a opção de vídeo, carrossel de imagens, filtros, stories e agora temos até vídeos longos, que são os IGTVs.

4# Criar a sua própria rede social do zero inclui escolher a tecnologia

Sabendo os recursos que quer adicionar a sua rede, você já está um passo mais próximo de escolher o tipo de tecnologia necessária. Aqui, é preciso uma ressalva: você fará tudo sozinho, com uma equipe ou vai contratar alguém?

Para aqueles que querem fazer tudo com as próprias mãos, será preciso ter diferentes conhecimentos no ramo.


Uma maneira de fazer isso é estudando as redes sociais que já existem, para conferir como essas plataformas são e quais tecnologias usaram.

Outras ferramentas que vem ganhando espaço são os criadores de aplicativos disponíveis no mercado, que facilitam este processo.

Então, se você não domina esse processo de criação, é hora de buscar um parceiro. Bom, ao chegar aqui, pode ser que você comece a ficar com aquela ruga na testa de quem pensa: como é que vou fazer isso?

Desse modo, calma em primeiro lugar. Em segundo lugar, convido você a conferir um pouco mais sobre a nossa página e ver tudo o que temos.

Aqui, oferecemos um produto que levamos anos para desenvolver, através de um serviço de assinatura, com custo sob medida para o tamanho da sua audiência. Essa é a forma mais fácil e rápida de tirar sua rede social do papel, com a garantia de um ambiente seguro, sob o seu controle para criar conexões, conteúdos, insights e muito mais.

A Cativa foi pensada para tornar o seu trabalho mais simples. Em poucos cliques, tudo estará pronto para uso e você já pode pular para a etapa de convidar pessoas a fazerem parte da sua própria rede social.

Ainda está na dúvida?

Não deixe de conferir todas as funcionalidades disponíveis e prontas para você.


5# Estrutura e design

Agora que você começou os seus estudos para definir a tecnologia da sua rede social, é hora de dar aquela atenção ao processo.

Sendo assim, temos a criação da estrutura e design. Em termo simples, a estrutura é formada a partir de três pilares:

  • • Atendimento ao cliente ou Suporte, essencial nos dias de hoje;
  • • Segurança, que já é uma lei (LGPD) e que não pode ficar de fora do processo;
  • • Escalabilidade, o que possibilita o crescimento ao longo do tempo.

Dessa forma, não basta pensar em criar um canal para se comunicar e resolver problemas ou garantir que os dados estejam seguros. Você também precisa entender que, a longo prazo, a rede social precisa dar conta do volume de pessoas que pode chegar ali. Então, é preciso que essa estrutura se expanda e se adapte com facilidade.

Juntamente a isso, temos o design, ou seja, como essa estrutura é visualmente. Vale destacar aqui que não é importante apenas que a rede social funcione, ela precisa ser simples e bonita. Isso aumenta as chances de novas pessoas chegaram ali e demonstrarem interesse em fazer parte da comunidade.

Importante


Um assunto que você deve se ater é o fluxo de atividades, iniciado pelo Facebook e presente em todas as redes. Em síntese, é o interesse que os usuários mostram pelo seu nicho e os principais temas relacionados a ele. Logo, é necessário desenvolver esse fluxo.

Por fim, existem ainda muitos outros passos importantes para criar a sua própria rede social do zero, como atrair usuários, definir como será a visualização de dados e assim por diante.

Entretanto, esses cinco serão a sua base inicial, para um negócio mais sólido.

Portanto, não perca mais tempo e comece agora a fazer as suas pesquisa e estudos para uma rede que funciona, atrai e encanta.

Aproveite e compartilhe também as suas dicas de conteúdos para as próximas páginas ou experiência.

Vou adorar saber mais.

Grande abraço e até o próximo artigo!

Postagens mais visitadas deste blog

Como usar banners para publicidade

Todo mundo quer saber como ganhar mais dinheiro com o seu negócio. Com redes sociais não é diferente. Uma das principais ferramentas de monetização é a publicidade que, quanto mais segmentada, normalmente é mais valiosa. Você tem uma rede social de nicho que, por natureza, já é bem segmentada por um interesse comum e isso faz com que sua audiência atraia o interesse de anunciantes. Como encontrar os melhores anunciantes? Cada mercado tem sua dinâmica própria, mas recomendamos que o primeiro passo seja mapear quem são as maiores empresas do mercado que se interessariam pela sua audiência. Se sua rede for sobre maternidade, você poderá buscar varejistas de roupas infantis que já tenham anúncios digitais e negociar diretamente com a empresa ou com a sua agência contratada. Independente do meio de contato, as principais dúvidas de todo anunciante serão qual é o tamanho e qualidade da sua audiência. Você tem ao seu favor a natureza segmentada do seu negócio e isso costuma atrair a atenção e

Os 03 pilares do marketing de comunidade

  Conhecer os três pilares do marketing de comunidade é a melhor saída para colocar essa estratégia em prática no seu negócio. Entretanto, se você ainda conhecesse ou não entende exatamente o que é essa estratégia, vale a pena conhecer um pouco mais. Para isso, separamos um post explicando exatamente tudo o que você precisa saber para dar os primeiros passos.  É só clicar aqui! Mas, se você já conhece, vamos começar a apresentar esses pilares, que serão a sua base de conhecimento, criação e resultados. Boa leitura! 1# Alinhamento dos membros da comunidade O alinhamento dos membros da comunidade se refere a uma junção de ideias. Primeiro, você precisa saber o que pode oferecer para esse grupo de interesse. Segundo, você precisa ter uma ideia, ao menos, do que essa comunidade busca ou espera de você. Para isso, você precisa conhecer essas pessoas, saber quem elas são. O ideal é que você seja capaz de responder as seguintes questões: • O que essa comunidade procura dentro do espaço que vo